ART.ÉRIA | SESC Campinas + Ateliê Aberto

12/04/2010

abril de 2011
Exposição + Bate-papo + Workshop

 

Em abril o Ateliê Aberto participou do projeto ART.ÉRIA, que se realizarou no SESC Campinas de 12 a 16 de abril.
Uma rede em fluxo contínuo, que propôs e questionou a utilização da comunicação em rede como espaço difusor de trabalhos artístico-culturais através do intercâmbio de idéias, produções e consumo. A programação que contou com oficinas, rodas de conversa e apropriação de espaços expositivos e ambientes relacionais; convidou os participantes a integrarem esse fluxo de absorção, tornado-os co-autores destas obras que, de alguma forma, se querem coletivas e compartilhadas.

Exposição | Espaço Arte-Mídia SESC Campinas
Foram produzidos, especialmente para o projeto, cinco painéis desenvolvidos de forma colaborativa. Três deles foram idealizados pelo Ateliê Aberto juntamente ao designer Mateus Menegatti, um pelo músico e artista moçambicano Waka M’Paco e pelo Ateliê Aberto e o último uma colaboração entre o curador Marcio Harum e o artista Igor Vidor.

12.04 | 19h | Bate-papo | Fazendo Arte Colaborativa | Teatro SESC Campinas

Compondo a programação do projeto ART.ÉRIA, será realizado um bate-papo sobre o “fazer na arte colaborativa”, trazendo diferentes artistas que se articulam para produzir colaborativamente e repensar as artes contemporâneas. Com Ateliê Aberto, Igor Vidor (Surf Residence Programme) e Caleb Mascarenhas (Grupo Lavoura).

Caderno de notas práticas nº2: Trabalho para descansar | Márcio Harum
13, 14, 15 e 16.04 | Workshop | quarta a sexta, das 19h às 22h, sábado, das 15h às18h

As circunstâncias da vida profissional nos dias de hoje envolvem o que vimos chamar aqui de ‘mobilidade’.
Pensando o sistema de arte em primeiro plano, diante de condições favoráveis, “o dever é ir aonde o trabalho nos chama”. Esta afirmação, sobretudo, lida com reações que surgem da junção de desejos: a rapidez de adaptação e a atitude de descobrir um novo entorno, de olhar o mundo com curiosidade, de produzir diferentes coisas reais ou imaginárias. Com base em coletânea de apontamentos pessoais voltada a reflexão sobre a arte e o seu contexto, esta oficina busca estabelecer contato dialógico entre temas comuns ao campo da produção artística e o da experiência curatorial: pesquisas de campo, visitas a ateliês e exposições em viagem, programas de formação não convencional e bolsas de residência. O que torna essencial a esta dinâmica coletiva é que o grupo de participantes possa contribuir com os debates a partir da organização de suas próprias anotações trazidas em todos os encontros.

Tags:, ,


Deixe um comentário